Têxteis. TMG olha para a bolsa

O grupo TMG - Têxtil Manuel Gonçalves, com investimentos em curso superiores a 50 milhões de euros, admite estar a olhar para a bolsa. "Estamos a reestruturar a empresa para podermos entrar em bolsa se o quisermos fazer", disse Isabel Furtado, CEO da TMG Automotiv, esta segunda-feira, numa conferência sobre investimento e financiamento do investimento.

"Quanto mais transparente for a nossa governance, melhor", afirma a gestora, uma das representantes da terceira geração no grupo familiar TMG, uma das referências da indústria têxtil nacional, onde soma 80 anos de história.e vocação exportadora.

No caso da TMG Automotiv, especializada no sector automóvel e com uma forte componente de inovação traduzida em 12 patentes e numa carteira de clientes que junta marcas como a BMW, Mercedes ou Jaguar, as origens remontam a 1986, quando o grupo decidiu investir noutras áreas de negócio e segmentou atividades em unidades verticais. No entanto, o interesse da TMG pela indústria automóvel onde fatura atualmente cerca de 100 milhões de euros e está em rota de crescimento começou já nos anos 60.

O grupo está a investir 52,5 milhões de euros em Famalicão, num projeto que envolve duas das suas empresas, a TMG Automotiv, um dos maiores fabricantes europeus de tecidos plastificados e outros revestimentos para a indústria automóvel, e a TMG Tecidos.

Na frente automóvel o investimento ronda os 46 milhões e tem o apoio do BEI - Banco Europeu de Investimento, que organizou com o Banco de Porrtugal a conferência "Investimento e Financiamento do Investimento", esta segunda-feira no Porto.

Presença habitual no ranking das maiores fortunas de Portugal, mas fora da última lista dos 25 mais ricos da revista Exame, a família de Manuel Gonçalves tem vindo a diversificar os seus investimentos ao longo dos anos, Foi acionista fundadora do BPI e do BCP, entrou no capital da EFACEC com o grupo José de Mello, chegou a ter aqui uma posição relevante, mas acabou por passar à condição de acionista minoritária depois da alienação de 66% da empresa a Winterfall, de Isabel dos Santos. Tem, ainda, entre outros negócios, as Caves Transmontanas e Casa de Compostela, nos vinhos, a Heliportugal (helicópteros), e a marca de surf Lightning Bolt.

« Voltar